sábado, 23 de julho de 2011

Entrevista | Gaston Stefani

Gaston Stefani é autor de crônicas, poemas e contos e em 2009 publicou o livro Portal das Sombras - Histórias Fantásticas. Confira a entrevista que fiz com o escritor, que falou de Stephen King, premiações, experiências sobrenaturais, superstição e romances juvenis:

1 - Em seu livro "Portal das Sombras - Histórias Fantásticas" há histórias de satanismo, vampiros, crime, entre outros temas ligados ao gênero terror. Para isso, claro, você com certeza tem uma adoração pelo gênero. Esse seu gosto vem desde criança?
R: Sim, como toda criança, eu gostava de histórias de monstros.

2 - De onde surgiu a ideia de criar um livro com contos deste gênero? Você teve alguma ajuda?
R: Confesso que, na época, estava lendo muito Stephen King e acabei sendo influenciado. Não. Não tive ajuda. As idéias foram surgindo e fui colocando no papel.

3 - Você ganhou o Prêmio Cleber Onias Guimarães pela crônica "Culto à Vaidade", sobre duas amigas que não se encontravam há muito tempo. Quando você escreve seus textos, pensa que um dia poderá ser prestigiado por eles, como aconteceu com este?
R: Não. Não penso em prêmios ou algo do tipo quando estou escrevendo. Apenas deixo fluir a idéia.

4 - Você tem vários contos que se adequam ao gênero sobrenatural, como, por exemplo, "Lágrimas de Sangue". Por um acaso você escreveu alguns destes baseado em um acontecimento real? Se sim, qual?
R: O “Lágrimas de Sangue” foi baseado nas imagens da virgem Maria chorando. Daí, pensei: e se fosse uma pessoa? E se chorasse lágrimas de sangue e prevesse o futuro? Depois de escrever o conto, soube que aconteceram alguns casos pelo Brasil de pessoas chorando lárimas de sangue.

5 - Os contos de seu livro estão em seu site do Recanto das Letras. Você não acha que, com esses textos na internet, o público possa não comprar seu livro?
R: Eu pensei nisto, mas tomei o cuidado de não colocar o livro inteiro na internet.

6 - Em "Tabuleiro Ouija" as personagens participam de um jogo onde você fala - ou tenta, ao menos, falar - com os espíritos (como o jogo do compasso e do copo, por exemplo). Você, por um acaso, já participou de um desses jogos? Como foi?
R: Apenas uma única vez. Eu era adolescente.Foi feito de maneira caseira: não tinha tabuleiro, só papéis amassados, o copo e uma caneta. Não deu certo. Ninguém levou a sério. Não sei se faria de novo. Certas forças devem ser respeitadas.

7 - Você já teve experiências sobrenaturais?
R: Tive uma vez a sensação de que algo ruim ia acontecer. E só. Por enquanto, não tenho esse canal muito aberto. É como dizem: usamos apenas uma infíma parte da capacidade do nosso cérebro.

8 - Você se interessa por outros gêneros? O que acha dos romances juvenis atuais, como "Harry Potter", "Percy Jackson" e "Crepúsculo"?
R: Sim. Leio vários gêneros. Tanto que procurei variá-los um pouco neste livro para não ficar apenas no terror. Há ficção científica, entre outros. E dos livros que citou, não posso falar muito a respeito, por não tê-los lido ainda, embora saiba do sucesso que fizeram seus filmes.

9 - Em seu livro há 13 capítulos. Este número é conhecido popularmente por ser o número da má sorte. É apenas coincidência ou não?
R: Acredite se quiser, mas foi uma coincidência. Tirei alguns contos do livro e ele acabou ficando com 13 contos. Pode ser um número de sorte (risos).

10 - Há alguma crônica que é a sua preferida?
R: Tenho algumas crônicas preferidas, ficaria difícil escolher apenas uma. E dos contos, citaria o “Ilusões”.

11 - Percebi que você gosta bastante de Stephen King. Qual seu livro preferido dele? Por quê?
R: Gosto muito do  “O Cemitério”. Foi o primeiro livro que li dele, e me envolveu. Fiquei até sentindo medo, ao lê-lo. Também curto muito os seus livros de contos. Para mim, o melhor é “Tudo é Eventual”. 

12 - Se um dia aparecer algum cineasta querendo adaptar uma de suas obras para a telona. Qual seria sua reação? 
R: Claro que qualquer adaptação que fosse feita de algum conto ou crônica minha, me deixaria feliz e orgulhoso por ter sido escolhido, no meio de tantos escritores que existem por aí.

13 - Bem Gaston, muito obrigado pela entrevista. Por favor, mande algum recado para os seus leitores e os do blog.
R: Espero que gostem dos meus textos e que se divirtam com eles, assim como eu me diverti escrevendo-os. Apaguem as luzes, acendam uma vela e boa leitura!

Quer saber mais sobre Gaston Stefani e conversar com ele? Você pode visitar seu perfil no Skoob, segui-lo no Twitter ou entrar em seu site no Recanto das Letras.

1 comentários:

Kivia Nascentes disse...

Que bacana a entrevista rapaz!!
Parabéns pelo blogue!

beijos

Postar um comentário

Gostou do café? Comente!